Seguidores

quarta-feira, 13 de setembro de 2006

Have a Nice Day

Vou começar pelo mais importante: eu prezo o meu sono de beleza. Quando não o tenho, fico rabujenta, o mundo desaba e as pessoas excessivamente alegres tornam-se alvos a abater. Ora bem, é com neste estado de espírito que escrevo, porque dormi, esta linda noite, duas míseras e pobres horas. Continuem a ler, que eu quero partilhar convosco um vislumbre do meu dia.
Meia-noite. Começou o dia 13 de Setembro. Ainda não tenho sono, mas isso não é demasiado problemático, embora tenha uma consulta de estética às 11h e vá ter que acordar uma hora antes para me despachar a tempo. Mas tudo bem, desde que durma um mínimo de sete horas, o sol ainda brilha...
Uma da manhã. Começo a ter algum cansaço, começo a pensar em dormir. Arremato umas pontas soltas do que estou a fazer e, é 1h30, apago a luz para entrar no mundo dos sonhos.
Uma e trinta e cinco.
Dez para as duas.
Duas e um quarto.
Bem, estou cansada e não consigo dormir. Para ajudar, sempre que me descontraio o suficiente e acho que até vou dormir, oiço o ar condicionado do vizinho a disparar a um ritmo de cinco minutos de cada vez a cada quarto de hora. Isto promete. Dou umas voltas na cama e, felizmente, o cansaço é demasiado para sequer considerar desejar ao vizinho uma caganeira.
Ligo a televisão e vejo uma série qualquer na televisão, uma coisa divertida com um detective obsessivo-compulsivo. Para mal dos meus pecados, reparo que, apesar de estar cansada, consigo tecer comentários mentais e fazer críticas ao episódio. Isto está mau.
Acaba a série, desligo o televisor e nova tentativa para adormecer.
Três da manhã.
Três e um quarto.
O ar condicionado continua de turbina ligada a intervalos mais ou menos regulares. Oh, sim, que emoção.
Tenho sono! Quero dormir!
Quatro e dez.
Quatro e meia. Apre, que estou a começar a ficar irritada. Tenho que acordar às dez, não posso recuperar o sono perdido dormindo até mais tarde. Penso, com dor de alma, como será quando tiver um emprego de horas normais e tiver que acordar cedo todos os dias.
Um bocadinho depois, sinto uma leve sonolência. Jáo não tenho que lutar contra a almofada, o lençol, o colchão, o ar condicionado! Adormeço... Felicidade!
Duas horas depois, acordo com o meu gato mais velho a vomitar debaixo da minha cama. Deixem-me explicar melhor: a vomitar no chão de madeira não tratado do meu quarto, no qual não posso passar uma esfregona! Corro para a cozinha, vou buscar papel absorvente e tiro aquela massa - bolas de pêlo - do chão. Pronto, salvei o chão e... perdi o sono.
Fico na cama. O meu quarto cheira a domicílio de caloiro em dias de Queima. Nham. Entretanto, os meus gatos resolvem raspar desalmadamente o chão para "tapar" o cheiro, mas claro que ingloriamente. Já não tenho turbina de a/c, tenho raspar de unha de gato.
Respiro fundo...
Fico na cama até a minha mãe se levantar, passam das sete. Falo com ela, resmungo com a vida, viro-me no colchão que parece desconfortável e traidor.
Acabo por ir comer alguma coisa. De bucho mais cheio, lá me vem o sono. Durmo 45 minutos e liga-se o despertador. Dor! Fico enjoada, tonta, com vómitos. Desmarco a ida à esteticista, não consigo sair de casa.
Entretanto, não durmo mais. Não consigo.
Tenho umas epifanias. Coisas de artesanatos e tal, que quero pôr em prática. O que vale é que isto ainda me vai dando para ter ideias...
Quando finalmente saio de casa, está cinzento e feio. O sol não tem o desplante de sorrir. Acho muito bem!
Recebo uma encomenda que esperava. Tinha um papel que me interessava muito lá dentro, que ficou dobrado por causa do palerma do carteiro. Se pudesse, naquele instante, tinha-o fulminado com napalm.
Vou aos correios, pedem-me quase 40€ para autenticar dois papelinhos. Como?! Também os fulminava com napalm.
Eu juro, mas eu juro, que se até à meia-noite, que é quando este maldito dia 13 acaba, se alguém me deseja um bom dia, eu... eu... eu...
...ainda choro.
E desculpem lá se não vos desejo um bom dia, mas se dormiram mais meia hora sequer que eu, então tiveram um dia fantástico.
E claro que, se eu tivesse conseguido fazer o ulpload da imagem que queria para ilustrar isto tudo, era sinal que a vida era boa demais...

3 comentários:

caxineira disse...

queres que eu tenha compaixão de ti!!queres ficar mais bem disposta? isso aconteceu-te uma noite... Agora picture this: 22h30: berros e tentativa de mamar; 23h30: ahhhh finalmente comeu, agora tentar adormecer; 01h30:adormeceu, já tava quase a pô-la na varanda! 01h35: durmo profundamente;02h35:UAAAAAAAAAAAAAAA, tá na hora!03h00 já tá;03h05 durmo profundamente;06h00 UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, Tá na hora! a partir daqui luta proficuamente com os pezinhos e as mãozinhas até adormecer eu q me lixe e fique ali a levar com eles na barriga e em sítios mais moles e mais dolorosos!!! Ahhh tenho a dizer que isto foi durante um mês inteiro!para veres que ainda tenho o sono em atraso!Ai meu Deus como deve ser bom voltar a dormir uma noite inteira.
Mas ao contrário de ti, nada que um sorriso da Bia não resolva (mas só resolve lá para o meio dia!!)

Leonor disse...

Mas a minha insónia não me sorri!

Sou uma pobre vítima, mai nada.

Raquel Mendes disse...

:) Há dias assim. Também odeio não dormir o suficiente, que é o mais "normal" nos ultimos meses. Imagina como anda o meu humor! :)))