Seguidores

quarta-feira, 21 de setembro de 2005

O Rato do Alemão


Aqui há um par de semanas, o botão esquerdo do rato do meu portátil deu o seu último suspiro e finou-se. Melhor dizendo, bloqueou-se, já que era impossível clicar, dado estar preso. Eu, no meu espírito de boa portuguesa, resolvi "desenrascar" o meu problema passando as definições do dito para utilização da mão esquerda, assim o botão mais usado passaria a ser o direito...
Pois bem, a coisa funcionou, mas foi sol de pouca dura, pois antes de eu poder dizer "Aha! Sou uma rapariga mesmo idiota" (leia-se "cheia de ideias") em plenos pulmões, comecei a ter conflitos com os botões do próprio portátil, pelo que tive de abandonar a minha manigância e passar a usar o touchpad e os botõezinhos do portátil, que é coisa que eu, confesso, detesto.
O meu rato é muito giro, é assim pequenino e maneirinho, com um fio que dá para esticar e encolher a gosto. Enfim, dentro do material informático ao alcance do meu bolso, posso dizer que é algo que me fazia inchar de orgulho por ter um ar tão catita. Pela módica quantia de €20, era meu.
Como eu tinha o recibo, dirigi-me à Worten para trocar o referido objecto, mas não àquela onde o tinha comprado. Esperei uma infinidade de tempo para ser atendida e, quando já estava a ponderar usar um isqueiro para accionar o detector de incêndios e obter alguma atenção, eis que vem o ÚNICO funcionário da loja ter comigo.
- Posso ajudar?
- Sim, vinha trocar um rato que comprei.
- Mas tem algum problema?
- Evidentemente, senão não vinha trocá-lo...
- Sei lá, podia ter sido uma oferta, ou...
- (interrompendo) ok, seja, mas é por defeito.
- Tem recibo?
- Tenho.
Entreguei o recibo, mostrei o rato. Entretanto, fui à secção dos ratos e constatei que não havia outro igual ao meu, mas pensei que eles me devolveriam o dinheiro (ahahaha!) ou mandariam vir outro igual, mas... claro que não! O funcionário explicou-me que tinha que o devolver à loja onde o tinha comprado e, no caso desta marca em questão (TARGUS), era necessário eles entregarem o rato ao fornecedor, para depois eles decidirem se mo trocavam por um novo ou reparavam o velho... O tempo estimado desta coisa toda? Um mês...
Claro que a minha cara ficou com um saudável tom de azul e eu retorqui que preferia ir a uma megastore ver o que me diziam. Meu dito, meu feito, e levei o rato de novo para casa.
Entretanto, fui forçada a usar o portátil sem rato, o que me deu imensas alegrias... not!
Quando cheguei ao Algarve, combinei com a minha mãe irmos ao AlgarveShopping e trocar lá o raio do rato, que já me causava urticárias. Um belo dia, fizémo-nos à estrada e, contentes da vida, lá chegámos ao nosso destino, 50km depois.
Quem vai ao AlgarveShopping não pode ficar sem ir à FNAC, e foi o que fizemos. Claro está, comprei coisas. No total, cerca de €25 de coisas... Quando me preparava para ir à Worten, pergunta sacramental da minha mãe:
- Trouxeste o rato, certo?
Ia-me dando um treco. Errado! Tinha-me esquecido dele! Ai, mais uma daquelas ocasiões em que temos vontade de meter a cabeça na areia...
Bem, sem rato nada feito. É da maneira que voltamos cá, exclamei eu. 100km feitos por causa de um rato e não tinha tido a decência de me recordar de o trazer.
Eu tenho um grande amigo que é o principal culpado disto tudo, que é alemão. Vocês devem conhecê-lo, dá pelo nome de Alzheimer e pelos vistos gosta de me importunar nas alturas menos próprias...
Da segunda vez, lá voltámos à Guia, rumo à loja. Desta vez nem foi preciso chegar lá, estava na Via Infante de Sagres quando me deu um calafrio.
Isso mesmo, voltei a esquecer-me do rato! Maldito alemão!
Claro que fui à FNAC, comprei €20 de coisas e, para ajudar, ainda gastei €5 a jantar.
Nesta altura, estou a torcer para não me esquecer de o levar da próxima vez, e estou sinceramente a considerar colar o rato com supercola 3 à testa (se bem que isso fosse dificultar a entrega do dito na loja, mas pronto, pormenores)...
Consideremos que a minha demanda fica sem incidentes à terceira tentativa e que o alemão não me prega das suas: farei 300km no total e terei gasto €25+€25+€15 (este último de combustível) para reaver uma porcaria de um rato nanico!
O meu touchpad parece-me cada vez mais sedutor...

6 comentários:

Elsa disse...

Estou que nem posso de tanto me rir!!! Também odeio touchpods... aliás, odeio o portátil todo, para ser coerente!

bixana disse...

Eheheh, Leonor, até consigo imaginar isto tudo!!!! :D :D

Phil_Cat disse...

Essa do amigo alemão é minha, tem direitos de autor ;)
E depois, convenhamos... existem ratos a 5 Euros, rapariga! Com todas essas viagens, já tinhas comprado um rato novo e tinha-te ficado mais barato...

E o teclado maleável, que tal?

marta disse...

Ai credo.
Essa era boa para mim que odeio computadores, mas que infelizmente tenho de lidar com eles.
Que tu eras um bocadinho doidinha eu já sabia, agora asim...
Beijos

das2uma disse...

Grande saga em busca de um rato Leonor, livra! Eu, provavelmente tinha desmontado o bichano para ver onde estava o queijo entalado (lol). Depois era uma bronca, pois certamente sobrar-me-iam peças e tería de lhes dar utilidade ou voltar a pô-las lá dentro e fazer uma maraca!
Só fiquei intrigada foi com o teu amigo alemão... tens a certeza que ele é teu "amingú"??!?! Raios, com um nome desses parece mais um campo nazi. Tens a certeza que não é só falta do teu outro amigo Magnesium?!? Vê lá isso, és muito nova para ter amigos desses.
;-) Fica muito bem.

Cat disse...

Abençoado alemão! Se não fosse ele não terias escrito a única coisa que me fez rir depois de saber que a minha gata está com hepatite...
Vim ao sítio certo e vou voltar!